quarta-feira, 13 de abril de 2011

Ai de mim

Porque, se anuncio o evangelho, não tenho de que me gloriar, pois me é imposta essa obrigação; e ai de mim, se não anunciar o evangelho! 1 Coríntios 9:16

Quero nos proporcionar hoje um momento de reflexão!
Leia esta passagem quantas vezes for necessário para que você a entenda, por favor! Nem que isso lhe custe a vida, valerá a pena se a tempo você entender o que o Espírito Santo nos diz através da vida de Paulo.

Mas recebereis a virtude do Espírito Santo, que há de vir sobre vós; e ser-me-eis testemunhas, tanto em Jerusalém como em toda a Judéia e Samaria, e até aos confins da terra. Atos 1:8

Será que a igreja dos nossos dias (e me incluo nesta lista) está disposta a anunciar o evangelho de Cristo até os confins da Terra? A Bíblia não nos diz: nos confins da Terra; e sim: até os confins da Terra. E isso nos leva a saber que existe um caminho a ser trilhado até que se chegue aos confins da Terra. O caminho de ida deve também ser evangelizado, alcançado e salvo pelo sangue de Cristo. E no caminho dos confins da Terra, pasmem-se! Está a sua casa, o seu trabalho, escola/faculdade e afins, os seus amigos, familiares, desconhecidos e espantem-se mais ainda, neste caminho, estão os seus inimigos e toda a casa deles!



E advinha quem Cristo quer usar para isto? Você! 

Será que vemos a anunciação, a pregação do evangelho, das boas novas de Cristo como "obrigação imposta"? Onde o ato não nos traz nenhum tipo de glória, vantagem, elogio e tantas outras coisas que estamos acostumados a ver? As vezes me parece que as pessoas usam a Deus como quem usa uma escada para estar um pouco mais alto em relação ao restante da multidão, afim de que seja visto de baixo para cima, em uma posição de destaque e para que veja de cima para baixo, como algo merecidamente superior! 



Então, disse aos seus discípulos: A seara é realmente grande, mas poucos os ceifeiros.
Rogai, pois, ao Senhor da seara, que mande ceifeiros para a sua seara. Mateus 9: 37-38

 
Roguemos ao Senhor da seara!

0 comentários:

Postar um comentário

Crítica/Sugestão/Testemunho

Nome

E-mail *

Mensagem *